Coordenação Científica

Apresentação e objetivos do curso

O conceito de “aprendizagens essenciais” ganhou proeminência em Portugal com a publicação do Decreto-Lei n.º 55/2018 de 6 de julho. Este decreto estabelece no seu Art.º 3.º b) que as “aprendizagens essenciais” são o “conjunto comum de conhecimentos a adquirir, identificados como os conteúdos de conhecimento disciplinar estruturado, indispensáveis, articulados conceptualmente, relevantes e significativos, bem como de capacidades e atitudes a desenvolver obrigatoriamente por todos os alunos em cada área disciplinar ou disciplina, tendo, em regra, por referência o ano de escolaridade ou de formação”. Embora conceitos próximos deste já tenham surgido em momentos anteriores, com esta ou aquela designação, nunca nenhum deles assumiu como agora um papel central no discurso educacional oficial relativo à disciplina de Matemática. No entanto, para os professores não tem sido fácil integrar este conceito na sua prática profissional. Este facto levou o Instituto de Educação a organizar em maio de 2019, em conjunto com a APM – Associação de Professores de Matemática, um encontro para professores que ensinam Matemática que contou com 230 participantes, o que evidencia o grande interesse destes professores em aprofundar o tema.

O trabalho do professor que ensina Matemática com as aprendizagens essenciais deve ser enquadrado por uma perspetiva de gestão curricular que, segundo o mesmo Decreto-Lei no seu Art.º 3.º c), deve possibilitar o “enriquecimento do currículo com os conhecimentos, capacidades e atitudes que contribuam para alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória”. Neste campo, assume particular relevo o conceito de “gestão flexível do currículo”, que é suscetível de servir de base a uma prática profissional distinta da usual, muito baseada no encadeamento de conceitos e procedimentos. No entanto, o modo de concretizar uma gestão flexível do currículo tem igualmente levantado fortes questionamentos entre os professores.

Deste modo, parece existir uma necessidade de formação especializada neste domínio, dirigida a estes professores, com especial ênfase na gestão curricular e aprendizagens essenciais em Matemática.

Com a realização do curso, os formandos deverão ser capazes de:

  1. Reconhecer as aprendizagens essenciais em Matemática do ciclo de escolaridade em que ensinam, bem com a respetiva articulação vertical com as aprendizagens essenciais de outros ciclos e a sua articulação horizontal com as aprendizagens essenciais de outras áreas disciplinares.
  2. Diagnosticar problemas na aprendizagem dos alunos e elaborar planos de intervenção para os ultrapassar.
  3. Realizar uma gestão flexível do currículo, em colaboração com outros professores de Matemática e de outras áreas disciplinares.
  4. Elaborar, concretizar e avaliar planos de intervenção tendo em vista promover as aprendizagens essenciais dos alunos.

Destinatários

O curso destina-se a professores de Matemática do 2.º e do 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário (grupos 230 e 500) e professores do 1.º ciclo do ensino básico (grupo 110).

Horário de funcionamento

O curso funciona em horário pós-laboral. As aulas decorrem à 2.ª e 4.ª feira, a partir das 17:00.

Informações ÚteisHorários
Plano de Estudos
Regulamentação
Dúvidas frequentes
FAQ
Informações ÚteisHorários
Plano de Estudos
Regulamentação
Dúvidas frequentes
FAQ

Candidaturas

Datas e condições de acesso